Igarapé, 25 de julho de 2017

Prefeitura Municipal de Igarapé

Você sabia?
Imprimir Email

Institucional

História do Hino de Igarapé

por Nelson Biasoli

16/07/2009 10:00

O hino dedicado a cidade de Igarapé foi escrito por Nelson Biasoli no ano de 1990, a pedido do então Prefeito Municipal Cristiano Chaves. Hospedado por vários dias em Igarapé, o professor Nelson Biasoli estudou muito sobre a cidade e conversou com vários moradores. Em seus próprios relatos, anexados na Lei nº 640/90, que instituiu o hino, o autor descreveu cada verso, o que pensou, em que se baseou...

Bandeira do Município

Bandeira do Município

Nelson Biasoli

Letra e Música


No céu o perfil de altos montes

A coroar-te em Laurel de Glórias

Faz, que para o mundo apontes

O esplendor de toda a tua história


Barreiro antigo, cheio de tradições

Por ser minha terra: tenho valor

No trabalho, alegria e devoção

Por ser minha gente: tenho vigor


Salve "Cidade Menina"

Cheia de encantos mil

Glória Igarapé

Orgulho do Brasil


Sim, jóia rara sagrada da terra

Liz de eterna beleza

Estrela de ouro, gravada na serra

Minérios, córregos e os dons da natureza


Recanto gentil, és um primor

Teu fanal, tua lira e teus Ais (Estribilho)

És vida, som, raiz e cor

Guarda e ilumina, Oh: Minas Gerais




Histórico do hino de Igarapé


"Todo mineiro tem um trem de ferro apitando nas veias, uma montanha brilhando nos olhos, e uma banda tocando nos ouvidos" (Jorge Fernando dos Santos). Minas principia no M da mão de dentro para fora e do céu para o chão olhando de cima das montanhas, para um mar de ondas sem fim.

Em cima da montanha é mais fácil falar com Deus. E no céu o perfil de altos montes, é mais fácil falar da tua história, sim é mais fácil contar este hino, que saiu de dentro da minha alma sem poder explicar, à ninguém, como se fosse uma força divina transformando a letra numa melodia, talvez numa das mais lindas canções que poderia fazer.

Quem sabe a inspiração surgiu ao estudar a vida do Senhor Alexandre Nunes, fundador da cidade, homem de fé e humildade, sofredor, mas de uma grandeza ímpar dentro de sua alma, fez a igrejinha para suas orações, ficando assim para a imortalidade. Esta igreja foi o marco inicial de Igarapé.

Quem sabe também influenciado pelo próprio inscrito do bandeirante Borba Gato que palmilhou o chão mineiro ao fundar São Joaquim de Bicas. Quem sabe a inspiração veio também dos tropeiros que paravam na Lagoa dos Pombos. Ao referir-se Barreiro Antigo as suas argilas que modula o barro do milagre da durabilidade dos tijolos e das telhas. Por ser minha terra: tenho valor, por ser minha gente: tenho vigor, salve cidade menina. No livro histórico do município escrito por Ildeu Morais de Oliveira, referiu-se a este cognome que no momento de rara felicidade a Vereadora Eugênia Vieira pronunciou em sessão memorável da Câmara Municipal efetuada em 05 de janeiro de 1966. Aproveitamos esta feliz idéia para dar ênfase ao estribilho [refrão] da música. O viandante que passa pela rodovia Fernão Dias, nota que Igarapé: é uma jóia gravada na serra, sendo assim a flor das flores, no liz do seu lírio onde podemos plasmar suas pétalas. Na razão a sua glória entreabrirá, com as mãos de festa no futuro e a Deus pedir, que em ti nos abençoe.

No comércio, indústria colocamos minérios e os dons da natureza, essenciando agricultura, o gado e a riqueza mineral. Na lira a tua música, que faz presente também a arpa [harpa] no coro musical das aves multicores que são as flores que voam no céu para enfeitar e aplaudir o esplendor da natureza.Teu fanal é a tua vida multiforme que estua no ar da qual também nós fazemos parte, são as nuvens passageiras as montanhas. As ondas plácidas leves dos teus córregos refletem os raios do sol e as estrelas no orvalho que a alvorada colocou num brilho de uma beleza sem igual. Teus "Ais": É a tua lágrima, a tua dor, a tua alegria ou teu dissabor, a lágrima é a tristeza, a dor teu lamento teu choro. Alegria o sorriso, uma canção de ninar, a esperança. Raiz as tuas origens, os teus heróis, a herança do passado que seje entregue intocável ao futuro.

Deixei a palavra córrego para escrever no fim, Igarapé: Muitos córregos.

Inspirado pela esposa do Dr. Benedito Valadares, Governador do Estado, o mesmo deu nome de Igarapé, por ter semelhança com os córregos do Amazonas,

Assim Ficou:



Igarapé

Nome para embalar

Cantiga de índio

Querência, querida

Faça Frio ou calor

Igarapé Suaviza

No choro ou no Riso

Este pedaço mineiro

em pedacinho do Brasil


Nelson Biasoli
 



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página